'Não é balbúrdia, é reação! É estudante defendendo a Educação!'

16/05/2019

O 15 de maio de 2019 já é um dia histórico! Cerca de 5 meses após assumir o governo e em crescentes polêmicas e suspeitas,  Bolsonaro teve nesse dia seu maior revés. Em mais de 200 municípios, incluindo todas as capitais brasileiras, estudantes e trabalhadores da Educação tiveram apoio de diversos sujeitos sociais na luta contra os cortes na Educação superior e básica.

Em Florianópolis, o que se viu foi uma das maiores manifestações da história da capital catarinense. Cerca de 30 mil manifestantes se reuniram à tarde, vindos de escolas públicas e privadas, sindicatos, IFSC, UDESC e UFSC.

Na Universidade Federal, as atividades iniciaram às 7h com panfletagens convidando a comunidade para os diversos atos do dia, que incluíram manifestações e uma assembleia universitária. Foram mais de 3 mil pessoas presentes em um dia praticamente sem aulas.

Manifestação fecha Beira-Mar e ruas do centro

A partir das 13h estudantes, TAEs e docentes da UFSC saíram em direção ao centro da cidade. Na Trindade, se juntaram aos militantes que vinham do CCA, ao movimento da UDESC e aos estudantes da Escola Simão Hess. A Avenida Beira-Mar, no sentido bairro centro, foi totalmente fechada. Sem conflitos, os manifestantes adentraram a Avenida Mauro Ramos e chegaram à Catedral Metropolitana, onde sindicatos, escolas públicas e privadas e os participantes do UFSC na Praça (iniciativa que expôs projetos de pesquisa e extensão à população) já estavam concentrados.

A Praça XV foi, então, pequena para tantas pessoas. As ruas ao lado se encheram também. Com palavras de ordem, instrumentos musicais e muita unidade, o movimento se concentrou em frente à Catedral e logo se dividiu em três grupos para, por caminhos distintos, chegar ao Terminal de Integração do Centro (TICEN) antes das 18h para dialogar com a população.

E como para haver diálogo é necessário dois lados, o diálogo dispensou longas explicações. A população não tem dúvidas de que os cortes contra a Educação são um corte de futuro para esta e às próximas gerações. De fato, só a luta muda a vida. E o conhecimento mais uma vez destruiu mitos.

Que venham os dias 30 de maio e 14 de junho!