Quem é Juliane? Depoimento de sua Chefia Imediata

14/06/2018

Abaixo reproduzimos, na íntegra, relato da chefia imediata de Juliane de Oliveira. Ninguém fica para trás!

-------------------------------------------

Conheci a Juliane em 2017 quando eu estava retornando das férias. Ao ser apresentada a ela fui informada que ela seria a nossa nova servidora do DCOM e trabalharia diretamente comigo na CAPL.

Naquele momento o que mais me chamou atenção foi a felicidade estampada no rosto dela por ter conseguido sua remoção para o DCOM e a sua vontade de trabalhar, querendo iniciar as suas atividades no DCOM o quanto antes. Surpreendeu-me também, quando iniciei a apresentação do Departamento para a Juliane antes de começar o seu treinamento, o fato dela já possuir alguns conhecimentos sobre as atividades e procedimentos que eram realizados pelo Departamento, consequência de uma leitura prévia do site e manuais disponibilizados pelo DCOM feita pela servidora Juliane antes de se apresentar para o seu novo trabalho, como uma forma de se preparar com informações básicas, como a própria servidora Juliane definiu na época.

Desde o início a Juliane se mostrou interessada em aprender e não teve nenhuma resistência em relação ao trabalho que era repassado a ela, mesmo se tratando de atividades completamente distintas das atividades com a qual ela estava acostumada em seu antigo setor.

Desde o início, mesmo ainda em período de treinamento, apesar do grande volume de trabalho que é constante no setor onde a Juliane foi lotada no DCOM, da complexidade dos processos tramitados e da atenção que a função requer na análise destes processos, a Juliane sempre desempenhou as suas atividades no DCOM com muita responsabilidade.

Atualmente a Juliane é uma servidora qualificada para exercer as suas funções no DCOM e apresenta uma ótima relação com a equipe de trabalho (o que para o Departamento isso é muito importante, uma vez que o trabalho de um membro da equipe vai depender e refletir muito no trabalho do outro), além de ser uma servidora proativa (a Juliane se interessou e se colocou a disposição para participar como ministrante do Curso de Compras realizado pelo DCOM todos os anos).

Infelizmente, pelo fato do tempo em que a servidora Juliane trabalhou no DCOM ser inferior ao tempo trabalhado no antigo setor no período considerado para a sua última avaliação do Estágio Probatório, esta avaliação não pôde ser realizada no DCOM, que é o seu setor atual e onde a servidora desempenhará as suas funções após a finalização do processo de Estágio Probatório.

É muito triste saber que uma avaliação de Estágio Probatório, que deveria analisar o servidor com o intuito de identificar quem está apto ou não para continuar no serviço público, chega num resultado de exoneração do servidor sem questionar o mais interessado no desempenho atual do servidor, que é o seu setor atual de lotação.

A exoneração da Juliane está sendo determinada com base em um período passado de sua atuação em outro setor e outra atividade que em nada reflete as atividades de trabalho atuais da servidora. Outros setores avaliaram e julgaram procedente a exoneração, no entanto, é o DCOM quem perde com esta exoneração. A equipe do DCOM perde uma servidora dedicada e competente e o DCOM perde um servidor que vai desfalcar todo o restante da equipe, que já precisa trabalhar muitas vezes além do seu limite de trabalho para procurar atender toda a demanda recebida pelo Departamento.

É necessária, no mínimo, que seja revista a forma como acontece a avaliação de Estágio Probatório na UFSC. Uma avaliação de desempenho supõe que um servidor pode desenvolver novas habilidades com o passar do tempo e que esta avaliação é realizada para garantir a manutenção destas habilidades. Então por que não utilizar o progresso atual de um servidor para melhor qualificar uma avaliação de desempenho que foi realizada e que não reflete mais a realidade de trabalho do servidor?

Simone Duarte L. Silva

Chefia imediata da Juliane no Departamento de Compras